Imagem_Topo

As estradas históricas não se medem pelo tamanho, antes pelo simbolismo e diversidade de experiências que oferecem.

 

A nossa Estrada Nacional 2 é muito mais curta do que a mítica Route 66 americana e a famosa Rota 40 argentina. Mesmo assim, reclama um lugar no pódio como a terceira estrada mais icónica do Mundo e única na Europa. Com os seus 739,260 km de extensão, atravessa Portugal continental de Norte a Sul e dá a conhecer, e a sentir, a essência da História e cultura portuguesas.

EN 2: ANTES DO COMEÇO

Prepare-se para uma aventura. As opções à sua disposição são às centenas, se não forem aos milhares. De quantos dias dispõe ou acha ideal? Onde vai dormir? Onde vai comer? Onde vai passear? Onde vai tirar aquelas fotos lindíssimas? Ou onde vai fazer aquele vídeo que deixará a família e amigos cheios de inveja? Onde tem mesmo de ir porque é especial? Em suma, quanto e como lhe apetece descobrir? Agora multiplique as possibilidades por quantos companheiros de viagem se juntarem.

 

Estão em causa 11 distritos, 35 concelhos, 11 rios, 4 serras e incontáveis preciosidades artísticas, patrimoniais e paisagísticas. Isto quer dizer algo muito simples: é melhor planear a sua viagem ao pormenor - para que desfrute do passeio ao máximo.

NACIONAL 2: PARTIDA

A tradição impõe que se comece no Km 0. Fica em Chaves, numa rotunda, e foi lá colocado um marco quilométrico para que desapareçam as dúvidas e se recolham lembranças sorridentes antes de nos fazermos à estrada respeitando sempre a segurança rodoviária e nunca deixando para segundo plano o conforto de condução.

 

Presente num local de encantos ancestrais, já dos preferidos pelos romanos, este é o primeiro teste à sua (ou vossa) capacidade de aproveitar o tempo disponível para explorar o espaço. Aqui entre nós que ninguém nos lê, será um escândalo se entrar na EN 2 sem levar, na barriguinha ou embrulhado, um delicioso Pastel de Chaves. Quem diz um diz quantos lhe apetecer, claro, a saudável gula é o critério a seguir.

ROUTE 66 Portugal: TRAVESSIA

Deixamos apenas três exemplos de experiências à disposição, um humilde aperitivo do magnífico banquete oferecido pela estrada mais portuguesa de Portugal:

Visitar o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios – Lamego

 

Religião, arquitetura, arte, História, folclore… Escolha o seu ponto de vista favorito ou misture vários ao seu gosto. O resultado será sempre impressionante e inesquecível.

Estar no Centro Geodésico de Portugal – Vila de Rei

 

A vista é espetacular, mas ainda mais espetacular é o sentimento de estarmos mesmo, mesmo, mesmo no centro de Portugal. Imperdível.

Passar na 1ª Estrada Património portuguesa (desde 2003) – Almodôvar a São Brás de Alportel

 

Apesar de corresponder à parte final do percurso, foi neste troço que a EN 2 começou a ser vista como o tesouro que agora se celebra integralmente, aquém e além fronteiras. 

Estrada Nacional 2: CHEGADA

Chega-se a Faro. Chega-se ao paraíso das praias do Algarve. A Espanha é ali ao lado e África está mesmo em frente.

 

O derradeiro quilómetro da Estrada Nacional 2 leva-nos diretamente até à doca da cidade. Um local que fica como metáfora perfeita do sentimento que nos acompanhou desde o início. Esse desejo inesgotável de partir, avançar, gozar o melhor que o Mundo tem para nos dar.

DEPOIS DA META FINAL: REGRESSAR PELA ESTRADA NACIONAL DE BICICLETA

E agora? Temos excelentes notícias. Que tal voltar à Estrada Nacional 2 numa próxima oportunidade, e desta vez começar pelo belo Sul à redescoberta do caminho para o belo Norte de Portugal? É que, de certeza absoluta, ficou tanto por descobrir, explorar, saborear e transformar em memórias deliciosas. 

 

E também pode ousar experiências que justifiquem andar vestido com t-shirts onde se leia "Fiz a Nacional 2 de moto" ou "Fiz a Estrada Nacional 2 de bicicleta". É consigo. Da nossa parte, apenas lhe pedimos que faça uma condução defensiva em toda e qualquer estrada. Porque adoramos saber que chegou em segurança ao seu destino. E há tanto para visitar, tanto para viver.

Relacionados